Conheça as tendências para o futuro do trabalho!

junho 9, 2022

Os últimos dois anos foram repletos de mudanças e incertezas em diversos aspectos de nossas vidas. Nos assuntos relacionados ao mercado de trabalho, não foi diferente. Contudo, hoje já estamos conseguindo enxergar um novo horizonte que fica cada vez mais claro em relação ao futuro do trabalho.

Neste artigo, vou explorar quais são as principais tendências do mercado para os próximos anos no Brasil e no mundo.

Se você quer ficar atualizado sobre essas mudanças para a sua empresa não ficar para trás, continue a leitura e descubra quais os assuntos, tecnologias e métodos mais importantes para ficar de olho!

Futuro do trabalho online: o home office veio para ficar?

A pandemia da Covid-19 trouxe uma série de mudanças que testou a nossa capacidade de adaptação. De uma hora para outra passamos a usar máscaras, a ter sempre um frasco de álcool gel por perto e a manter uma distância segura.

Aos poucos, conforme a crise diminui, algumas dessas medidas estão sendo abandonadas. Em alguns estados o uso da máscara já é opcional, por exemplo. Contudo, parece que algumas coisas vieram para ficar, uma delas é o home office e o regime híbrido que são as principais tendências para o futuro do trabalho.

A experiência forçada que a pandemia proporcionou forçando as empresas a colocar todos os seus colaboradores para trabalhar de casa ou no regime híbrido mostrou que esses modelos funcionam e possuem ampla aceitação. De acordo com a pesquisa FEEx, realizada pela Fundação Instituto de Administração (FIA) em parceria com o UOL, 91% dos colaboradores classificaram a experiência em home office como ótima ou boa.

Olhando pelo ponto de vista das empresas, o home office também apresenta vantagens importantes. Por um lado, existe a redução de custos das organizações que migraram definitivamente para o novo modelo, desocupando prédios inteiros. Por outro, a ausência da limitação geográfica tornou possível contratar profissionais de qualquer região do país.

No entanto, essa realidade fez com que as empresas desenvolvessem novas estratégias de atração e retenção de talentos. Afinal, elas passaram a competir com um número maior de organizações.

Também há a necessidade dos gestores adaptarem-se a coordenar suas equipes dentro de um ambiente totalmente virtual. Obviamente, a dinâmica online é diferente da presencial e não veio livre de desafios. Tanto os colaboradores devem aprender a administrar seu próprio tempo, como os gestores que precisam lidar com as equipes separadas por grandes distâncias.

Por este motivo, as metodologias ágeis ganharam força durante esta transição, tornando-se essenciais para o sucesso das operações das empresas que estão trabalhando no regime home office e híbrido. Isso porque, a principal característica da gestão ágil é sua capacidade de adaptação que produz ciclos de melhoria contínua.

Portanto, o home office possui todas as condições para evoluir cada vez mais. O que nos permite dizer que, sim, ele veio para ficar!

Continue a leitura, para acompanhar outras tendências para o futuro do trabalho!

Automatização de tarefas e processos: você vai ficar pra trás?

A automatização de tarefas e processos é outra tendência para o futuro do trabalho que veio na esteira da Indústria 4.0. Em linhas gerais, isso significa que a transformação digital trouxe a possibilidade de programar softwares para executarem tarefas repetitivas.

Esse movimento diminui a carga de trabalho dos colaboradores. Assim eles podem concentrar seus esforços em tarefas mais complexas que exigem mais atenção. Além disso, a automatização dos processos elimina a possibilidade de erro humano e ainda aumenta a velocidade da operação.

Em sistemas mais sofisticados, é possível dar um passo a mais e partir para a automação dos processos. 

Muitas vezes automatização e automação são utilizados como sinônimos, porém existe uma diferença fundamental

A primeira se refere ao auxílio da tecnologia na execução das tarefas, como por exemplo, um alerta automático que avisa os gestores cada vez que um processo passa de uma etapa para outra.

Já a segunda está relacionada à inteligência dessa automatização. Ou seja, é a capacidade do sistema de aprender e tomar decisões sozinho, além de executar as tarefas. É por isso que os conceitos de Inteligência Artificial e Machine Learning estão diretamente ligados à automação.

De acordo com a Deloitte, a automação dos processos aumenta em até 80% a velocidade de processamento. Com uma maior eficiência, as empresas que utilizam esses mecanismos também observam uma redução nos custos operacionais que diminuem de 30% a 60% por processo.

É claro que os benefícios da automatização e automação de processos geram uma vantagem competitiva para as empresas as utilizam. Assim chegamos ao título deste tópico: você ainda não começou a implementá-las? Vai ficar pra trás?

Aprendizado e desenvolvimento virtual: o futuro do trabalho na era digital!

Com a ascensão do trabalho em home office, é natural que os cursos de capacitação profissional online também estejam se tornando cada vez mais populares. As vantagens do e-learning para o desenvolvimento dos colaboradores são muitas. Confira abaixo algumas delas:

O desenvolvimento virtual é personalizado

Um dos diferenciais desse novo modelo de educação é que os profissionais podem criar as chamadas trilhas de aprendizagem. Ou seja, selecionar cursos mais compactos para desenvolver habilidades específicas.

Desse modo, em vez de fazer um curso extenso que compreende conhecimentos e habilidades que o colaborador já domina, ele pode fazer cursos focados no que realmente são lacunas. Isso vale tanto para os conhecimentos técnicos quanto para habilidades comportamentais, as chamadas soft skills.

Além disso, muitos cursos online são assíncronos, isto é, as aulas são gravadas e não necessitam que a pessoa reserve um horário específico para realizá-lo. Pelo contrário, o colaborador pode escolher quando realizar as atividades de acordo com seu próprio ritmo.

Custo benefício

Os cursos online também apresentam uma boa relação de custo-benefício. Inclusive, muitos deles são gratuitos e nem por isso deixam de oferecer valor para aqueles que os concluem.

Já os cursos pagos, também valem muito a pena, pois é possível fazer um acordo com os desenvolvedores para dar acesso a um grande número de colaboradores. Como não são limitados pelas condições físicas da empresa, não precisam de salas de conferência, auditórios, etc. Eles podem ser aproveitados por todos ao mesmo tempo.

Reskilling e Upskilling: vamos aplicar?

Aproveitando o assunto do tópico anterior, vou apresentar dois conceitos que são tendências do mercado de trabalho importantes para aplicar em sua empresa: o reskilling e o upskilling.

É interessante observar que ambas as palavras, de origem inglesa, são traduzidas pelos dicionários como “requalificação”. Contudo, essas traduções não captam as nuances desses dois conceitos.

Então vamos esclarecer as diferenças entre esses dois tipos de requalificação. Reskilling significa o processo do colaborador em aprender novas habilidades para desempenhar uma função diferente.

Já no upskilling, o colaborador também desenvolve novas competências, porém ele continua na mesma posição. Ou seja, essa requalificação significa uma atualização para acompanhar os movimentos do mercado e atender a novas demandas.

Como a mudança e a evolução são as palavras de ordem do trabalho do futuro, nada mais adequado do que investir em cursos para seus colaboradores para aplicar o reskilling e upskilling.

People Analytics: o que é e como aplicar no futuro do trabalho? 

O People Analytics é uma metodologia de gestão de pessoas que consiste em aplicar evidências para a tomada de decisões. Podemos dizer que esta metodologia traz em si quatro campos do conhecimento, são eles:

  1. Estatística;
  2. Ciência Comportamental;
  3. Tecnologia da Informação;
  4. Estratégia de Pessoas.

Ao observar esta lista, fica claro que os dados são fundamentais para a metodologia, porém eles não são os únicos elementos de análise. Por um lado, a Estatística fornece a parte concreta e objetiva das informações. Por outro, a Ciência Comportamental contribui com a parte subjetiva e humana das análises.

Os Sistemas de Tecnologia podem ser ERP (Enterprise Resource Planning | Sistema Integrado de Gestão Empresarial) ou HRIS (Human Resource Information System | Sistema de Gerenciamento de Recursos Humanos), por exemplo. Eles lidam com a coleta e o processamento dos dados que serão organizados pelo campo da Estatística, transformando-se assim em informação. 

Lembrando aqui, a diferença entre dado e informação: o primeiro é a matéria-prima do segundo. Ou seja, para que os dados se tornem informações, eles precisam ser interpretados e contextualizados.

Por fim, a Estratégia de Pessoas é a aplicação dos conhecimentos obtidos por meio das análises para atingir tanto os objetivos da empresa quanto a satisfação e felicidade dos colaboradores. Dessa forma, a interação desses quatro campos do conhecimento é a forma de aplicar o People Analytics no trabalho do futuro. 

Softwares e ferramentas de gestão: você ainda não utiliza?

O uso dos softwares de gestão sintetizam a maior parte das tendências que comentei até aqui. Eles são essenciais para a coordenação de uma empresa que aderiu ao home office ou trabalho híbrido, pois são capazes de tangibilizar tarefas abstratas.

Por exemplo, um software como o Runrun.it apresenta uma estrutura de visualização de tarefas no formato Kanban. Dessa forma cada tarefa se torna um card, que conforme sua posição nas colunas, informa os gestores sobre o seu status. Por exemplo, existem colunas para backlog, produção em andamento, tarefa concluída e assim por diante.

Cada vez que um colaborador avançar de etapa, ele move o card de uma coluna para outra. O software também registra o tempo em que as tarefas ficam em cada coluna. Assim, é possível gerar relatórios para determinar a quantidade de horas e de esforço necessárias para concluí-las.

Isso nada mais é do que uma automatização de tarefas, pois você não precisa gastar tempo elaborando planilhas complexas para acompanhar a operação de sua empresa. Afinal, existe uma ferramenta que faz isso por você: o software de gestão que está a todo momento registrando dados, que posteriormente serão importantes para aplicar a metodologia do People Analytics.

Portanto, se ainda não utiliza softwares e ferramentas de gestão, saiba que investir neste tipo de tecnologia é um dos principais passos para estar bem posicionado em relação ao futuro do trabalho.

Se você chegou até aqui é porque realmente está interessado em melhorar a sua produtividade e a de sua equipe. Então, antes de ir embora clique aqui para baixar o e-book, Resumão da Produtividade e conheça o segredo para se tornar mais produtivo! 

marília cordeiro

Criadora de conteúdo e da metodologia Organização Sincera.

Desde 2018 eu facilito a vida de pessoas e empresas com um workflow simples e empático de gestão do tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

receba dicas sinceras e práticas de produtividade em seu email

Na medida certa. 
100% privacidade.Sem Spam.

sobre marília cordeiro

Desde 2018 trabalho especificamente com produtividade, trabalho remoto e empreendedorismo. Aqui no blog, compartilho conteúdos mais completos, conceitos relevantes e reflexões para levar para você e sua equipe dicas práticas para o dia a dia. Aproveite para aumentar seu conhecimento e se inscreva para receber as novidades!

Leia mais sobre mim.

categorias

preparado para transformar a produtividade da sua empresa?